domingo, 16 de dezembro de 2007

Causas Perdidas

Sim, há muitas "causas perdidas" (nobres mas impopulares) neste planeta e o futuro parece sombrio para as próximas gerações, no que toca a recursos naturais, espécies ameaçadas, doenças incuráveis, direitos humanos e dos animais, etc...Que podemos fazer? O mundo é assim e nós os cidadãos anónimos, por muito que gostássemos de contribuir com a nossa parte, não podemos fazer nada, senão ter esperança que as coisas mudem um dia...
Não é verdade! Podemos fazer bastante! "Fazer barulho" compensa! Informe-se, assine petições, faça doações. Aonde? Haverá outros sítios, mas descobri um bastante interessante que aplica a emergente ideia de "social network" (MySpace, Hi5, Orkut, Netlog) - onde se pode alojar uma "homepage", fazer amigos, trocar mensagens, discutir em foruns, etc.
Care2 Make A Difference! por enquanto ainda só em inglês, embora tenha foruns de língua portuguesa, está a crescer e promete ser um dos próximos fenómenos da net, a julgar pela taxa de crescimento.
Mesmo que você, caro leitor, seja daqueles que não têm pachorra para se inscrever como membros de coisa alguma, ao fundo deste blog, lá abaixo de tudo, encontra um painel de "causas preferidas" que pode ajudar, com tão somente um clique do rato. (Ou dois ou três, vá, no máximo - aqui ao lado, ao fundo da barra lateral pode tambem clicar no sapinho para ir directo ao painel "Care2Click" no site deles, em inglês).
É verdade, funciona mesmo! Como? Graças à publicidade que as empresas patrocinadoras aceitam pagar para aparecer aonde vai muita gente, contribuindo com quantias proporcionais ao número de cliques por dia. Marque a página e volte diariamente, pode dar um clique por dia em cada causa. Não custa nada e apazigua a consciência! (porque ajuda mesmo, e sabe tão bem sermos nós a fazê-los pagar, p'ra variar!)
Ah! Não mandem mais cartões de Natal ou de aniversário ou de qualquer outra ocasião senão pela Care2 Ecards e durmam com a consciência tranquila de ter ajudado uma causa nobre, apenas com alguns grãozinhos de areia, mas, por sermos muitos, juntos poderemos criar uma poderosa e eficaz barreira de dunas de areia - contra a indiferença, a ignorância, o abuso, o laissez-faire, e a inconsciência pelas gerações futuras!
Os "sem voz" agradecem.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Quintay - Costa do Chile


El mar embravecido fue testigo.
Escarpado el cerro se despeña en rocas sueltas,
blanca estación de gaviotas que un día
de los despojos vivieron. Inocentes.

El viento ruge
trayendo del ayer el eco
del gemido de un gigante herido.

La rampa de antaño hiede aún a sangre fresca
y pasos caminan sin pisar
por no borrar las huellas.

Y la ola,
ya no lame, de imponente ballena, los ijares
por arpón avieso traspasados.

No se encanta el oído con el canto
que al hijo llamaba arrullando...
sólo se escucha el fantasmal lamento
en lágrimas de ámbar por su cachalote muerto.

Sobre el montículo de ruinas, pequeñas flores
apenas crecen, reptando
enroscadas en sí mismas
no quieren ver el mar, no miran la luz
ni descansan a la sombra de una estrella.

Sólo viven del recuerdo
de las ballenas muertas.

Patricia Benavente Vásquez